5 passos para controlar suas finanças

Ter o controle das suas finanças te ajuda a viver mais tranquilo. Se ainda não tens esse hábito, que tal começar com essas dicas?


A maioria das pessoas não teve a oportunidade de receber qualquer tipo de educação financeira, sendo assim, não é um hábito cuidar das finanças. É como querer que alguém se porte adequadamente a mesa, se essa pessoa nunca recebeu informações claras e nem tão pouco teve entendimento de como fazer isso.


A magia é fazer essas despesas, que são muitas, caberem dentro das receitas, sejam elas quais forem.

Ter controle das nossas finanças nos permite melhorar nossa relação com o dinheiro e assim, administrar melhor o que ganhamos e o que gastamos.


Para que isso dê certo você precisa exercitar duas habilidades humanas básicas: organização e perseverança. Mas não se preocupe, se você não tem essas habilidades natas, é possível você treiná-las.


Passo 1 – Determine seu perfil financeiro

As pessoas normalmente não sabem o quanto gastam por mês e muitos não sabem exatamente o quanto ganham. Essas informações são fundamentais para iniciar qualquer planejamento financeiro, bem como, saber o seu perfil. Você é gastador, despreocupado ou comprometido. Estes são perfis básicos, podendo surgir outros conforme a realidade de cada um.


Passo 2 – Detalhe despesas e receitas

Dedique um tempo precioso e com muita atenção relacione todas as suas despesas, eu disse todas: alimentação, transporte, moradia, saúde, educação, impostos, cartão de crédito, luz, água, gás, internet, telefone, TV a cabo, lazer e tudo mais que você possa ver seu dinheiro saindo.


Depois relacione todas as receitas, normalmente essa missão é mais fácil, pois são infinitamente menores as entradas do que as saídas. Mas então você diz: Viu, não tem como, é mais despesa que receita. Calma! A magia é fazer essas despesas, que são muitas, caberem dentro das receitas, sejam elas quais forem.


Passo 3 - Determine um orçamento

Pois bem, com essas informações você já tem condições de determinar seu orçamento mensal. Sabe quando você escuta no noticiário ou lê em um jornal, que o governo não pode fazer determinada despesa, pois não estava no orçamento? Você vai fazer o mesmo.


Sabendo exatamente quanto você e ganha e quanto você tem de despesas, você vai saber qual sua real situação. Se está sobrando ou se está faltando. E se for a segunda opção tá na hora das adequações.


Passo 4 – Adeque-se ao seu orçamento

Cortar despesas é um dos pontos principais para adequar o seu orçamento a sua realidade financeira. Então comece identificando onde podem ser feitos tais cortes. Tenha como parâmetro básico o seguinte: cortar o que é desnecessário ou está em desuso. Vou dar um exemplo: Você tem em casa TV por assinatura, mas vive no Netflix. Analise, quantas vezes por dia esses serviço é utilizado. Outro caso bem comum, você vai no banco aumentar o limite da conta ou financiar um imóvel ou carro e eles te fazem um seguro. E isso acontece cada vez que precisa de algo da instituição. Então chega um dia, que sem perceber você tem 3 seguros, 2 títulos de capitalização e 1 consórcio. Reavalie essas despesas, verifique se a cobertura não é a mesma nos três seguros, se em 2 anos que você paga R$ 15,00 por mês para concorrer a um sorteio de R$ 50 mil, não valeria mais a pena pegar esse R$ 360,00 e investir em outra coisa ou simplesmente eliminar essa despesa do seu orçamento.

Cada real que é gasto desnecessariamente do teu orçamento deve ser cortado. Nada de pensar, mas é só R$ 4,99.


Passo 5 - Gerencie suas dívidas

A pior inimiga de qualquer orçamento são as dívidas. Elas sempre vem acompanhadas de multas e juros, sem falar das limitações que elas podem te trazer.

Relacione todas as dívidas, acredite é melhor saber exatamente para quem e quanto você deve.

Renegocie as dívidas com prazos mais longos e juros mais baixos. Não espere eles te cobrarem, demonstre interesse em pagar, mas deixe bem claro quais são suas condições financeiras para isso. Dê prioridade as dívidas maiores e com juros idem e se for pagar alguma à vista insista no abatimento de juros, não abra mão de um desconto.

O crédito consignado pode ser uma excelente alternativa, pois os juros são em média 3 vezes menores que outras operações de crédito e os prazos são mais longos.

Cuidado com cartão de crédito e cheque especial, se você for usar essa opção para quitar outras dívidas, isso pode ser um desastre. O crédito consignado pode ser uma excelente alternativa, pois os juros são em média 3 vezes menores que outras operações de crédito e os prazos são mais longos. Assim você pode quitar dívidas com juros maiores e ficar com um único credor. Você não corre risco de novos atrasos e mais juros, pois as parcelas serão descontadas em seu contracheque, mas não esqueça de incluir o valor da parcela em seu planejamento receita x despesas.


Boa Sorte!

Posts recentes

Ver tudo